(11) 4063-9677

Me ligue
De seg. à sex. das 9h às 18h, sáb. das 09h às 13h
12 de novembro de 2013 - por Leandro.

Desde que ocorreu a explosão pela busca de empréstimo consignado, muitas duvidas surgem também de como ficará tais empréstimo em caso de óbito, invalidez e até mesmo desemprego.

Na sua grande maioria, as financeiras, oferecem algum tipo de seguro, por se tratar de parcelas muito estendidas, muitas vezes valores muito altos, ou seja, alguns bancos oferecem algum tipo se seguro para caso fortuito ou força

maior.

Vale entender que tais seguros não são obrigatórios, sendo assim cabe ao banco oferecer ou não, viabilizar ou não isso ao contratante.

Segundo entendimento majoritário, e até mesmo do INSS estes seguros não são tacitamente obrigatórios, pois se por ventura o seu contratante vier a falecer, o mesmo se extingue de forma instantânea, sendo assim em tese descabida a hipótese de um seguro para isto.

O que ocorre é que muitos seguros são comercializados concomitantemente, pois nada mais serve para uma segurança do banco, ou seja, extingue-se a ‘’dívida’’ mas o banco são sai totalmente no prejuízo.

Quanto ao desemprego, vale a pena arriscar a contratação do seguro em caso de

contratação privada, ou seja, empresa privada, empregado privado.

De qualquer forma, quanto mais cautela o contratante tiver, mais fácil será remediar uma desagradável situação.

Veja mais em:

Armadilhas do mercado financeiro.

Seguros de vida

 

 

Sobre o autor:

João Paulo Teixeira é formado e Pós- graduado em Direito. Atualmente exerce o cargo de assessor jurídico no Grupo AMP e publica material relacionado aos temas de Direito Previdenciário, Análises Contratuais e Direito do Consumidor.

Tags: , ,