(11) 4063-9677

Me ligue
De seg. à sex. das 9h às 18h, sáb. das 09h às 13h
13 de novembro de 2013 - por Leandro.

Quando uma família ou uma pessoa se vê em busca desenfreada por dinheiro rápido, seja por motivo de débitos, saúde ou até mesmo por descontrole financeiro, muitas destas pessoas se envolvem com agiotas, que nada mais são pessoas que emprestam dinheiro com juros completamente absurdos, que giram em torno de 20%, 30% e até 50%. Essas pessoas em tese nunca tratam por telefones fixos, celulares ou qualquer outro meio de fácil rastreamento. Em geral trabalham por meio de rádios clandestinos e na maioria das vezes pessoalmente, em seus escritórios localizados em lugares de difícil acesso e/ou de fachada. Esse tipo de ‘’trabalho’’ no Brasil é considerado crime, ou de certa

forma uma contravenção penal, cuja pena varia de seis meses a dois anos de detenção. Ressalta-se também que além do individuo responder criminalmente, ele também responde por crime contra o consumidor, cuja pena varia de três meses a um ano de detenção e multa. Pode-se afirmar que essa saída além de ser muito perigosa, pode custar muito caro. O melhor é ser feito, é sentar com um papel e uma caneta, relatar todas as pendências e assim chegar numa saída, seja com familiares, seja no banco ou em

financeiras, que sempre são terão as melhores condições. Veja mais em: Armadilhas do mercado financeiro.

Agiota

Sobre o autor:   João Paulo Teixeira é formado e Pós- graduado em Direito. Atualmente exerce o cargo de assessor jurídico no Grupo AMP e publica material relacionado aos temas de Direito Previdenciário, Análises Contratuais e Direito do Consumidor.  

Tags: ,