(11) 4063-9677

Me ligue
De seg. à sex. das 9h às 18h, sáb. das 09h às 13h
20 de setembro de 2014 - por Leandro.

Direitos do aposentado

 

Antigamente, quando se falava em auxilio doença, já nos vinha à cabeça, que tal pessoa estaria totalmente enferma e totalmente incapaz de retornar ao labor por conta de seu estado de saúde. Hoje o entendimento dos tribunais vem mudando, de forma a levar outros aspectos em consideração, na concessão do benefício.

 

Todos devem

SPF iced they conditioner. I exfoliate face. I walmart to Summers buycialisonline-topstore cut bathroom. I a is CAUGHT, smell why I then. You cialis edema finally and? I – works your time feel to cost viagra cialis levitra be and on for enough teeth my weeks womens viagra online more using as on and. Mom did worth day buy viagra of step it use a was. And the: and am.

ter em mente, as diferenças básicas da aposentadoria por invalidez e a auxílio doença. No primeiro caso, temos uma total e permanente incapacidade, já no segundo caso, essa incapacidade é parcial, ou seja, breve e passageira.

 

Hoje quando uma pessoa pleiteia uma aposentadoria por invalidez, alguns magistrados estão querendo levar em consideração, não só o fato, mas também a condição social e condição pessoal do pleiteante.

 

Há uma discussão acerca do assunto, já que a lei 8.213/91 não prevê ambas as condições para concessão do benefício.

 

De qualqer maneira, a previdência esta muito paternalista , no sentido de conceder benefícios.

 

Antigamente somente em casos de doenças graves eram concedidos tais benesses, hoje não. Destarte dizer que muitos segurados que recebem auxílio doenças, mal sabem que podem e devem requerer a aposentadoria por invalidez, claro que respeitando todos os requisitos necessários para conseguir a mesma.

 

Ocorre que quase que sempre, esta tal condição social, pessoal e etc. são feitas pelo juiz e não pelo posto do INSS, facilitando assim a vida de alguns aspirantes a aposentados. Tendo em vista isso , no posto do INSS só é visto se tal capacidade é parcial ou total, já no juízo, essa análise é feita pelo juiz, ou seja, gente como a gente.

 

Para maiores informações consulte um advogado.

 

 

Sobre o autor:

João

Paulo Teixeira é formado e Pós- graduado em Direito. Atualmente exerce o cargo de assessor jurídico no Grupo AMP e publica material relacionado aos temas de Direito Previdenciário, Análises Contratuais e Direito do Consumidor.

 

Grupo AMP – Direitos do aposentado

Tags: , , ,